sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Folga, Melona na praça e filhos... tem coisa melhor?

Com a proximidade do fim do ano, meu trabalho vai ficando mais relaxado e tenho um tempo a mais para me dedicar a alguns prazeres que no dia-a-dia fica impossível, como por exemplo sentar em uma praça da cidade e tomar um sorvete admirando o movimento. Fiz isto neste último fim de semana na praça da Liberdade, tradicional bairro oriental da cidade de São Paulo. Melona, como o próprio nome indica, era para ser sorvete de melão mas tem nos mais diversos sabores, nem sempre identificados: morango, pêssego, papaia, cuscuz, truta com limão, cabo de guarda-chuva, galinha com cassis, e por aí vai... haja vista a criatividade e pluralismos orientais, né?

O mais importante é poder saborear o vai e vem das pessoas, sem horário apertado, sem compromisso, sem correria para pegar o próximo metrô. Até com chuva quase de verão é gostoso ficar de bobeira olhando quem também não tem nada pra fazer. É o pai que brinca de correr com o filho de 4 anos... um outro ajuda a pequena de sainha minúscula, mostrando a fraldinha e pouco mais de 1 ano, nos primeiros passos... é a senhorinha septuagenária que anda de braços dados com seu companheiro de uma vida... é aquele "mardito" cachorro que faz cocô na praça com seu "mardito" dono saindo de fininho, enfim, é um deslumbrar de como a vida é deliciosa quando estamos de folga. É aí que percebemos qual a real importância do trabalho e dedicação. Mesmo que passemos fins de semana trabalhando, sem tempo para a família, parece que um dia de bobeira compensa um ano inteiro de labuta intensa.

Amanhã é meu último dia de trabalho em 2010, depois só volto em fevereiro, lá para o dia 10, nem sei ao certo... o que me importa agora é o Natal, levar as duas mais velhas no QBazar (tô ferrado!!), sair para ver a decoração da Paulista, passar pela bela e iluminada ponte estaiada, levar as duas menores ao shopping que cai neve todas as noites... Isto sim é ser iluminado por Deus. Ralar pra KCT com viagens e noites sem dormir para poder curtir e permitir pequenos prazeres às minhas pequenas. Qual pai não se sente realizado em poder fazer isto. Ano que vem começa tudo de novo e mais uma vez estarei trabalhando, viajando, correndo para ter mais folga com as filhas no próximo fim de ano. Ah... não as vejo somente nos fins de ano não, sou um pai participativo, opa!! Dou conselho, pego no pé, reclamo da saia curta, dou bronca, palmadas quando há malcriação, mas também ando de bicicleta, ensino a dirigir, rolo no tapete, brinco de tubarão na piscina e deixo elas desconfigurarem meu notebook todos os fins de semana (putz, sempre volta diferente, cheio de barulhinhos, fundo de tela trocado, muitas vezes não funcionando), sem contar no valor da conta do meu celular que sempre está acima do "plano básico" com as "rápidas" ligações para as amigas adolescentes só pra saber quem beijou quem no sábado à noite. Acredito que isto sim seja ser pai e não apenas um número de conta corrente com o incômodo prestar de contas da pensão mensal.

Pois bem, que venham as férias e nossos merecidos descansos. Mesmo para aqueles que folgarão apenas nos dias de festas, já é compensatório e relaxante. Peguem um dia desses, venham até a praça da Liberdade e tomem um melona admirando a calma e sapiência orientais, será bem prazeroso, podem acreditar! Eu aconselho...


Abraços do quase de férias,



Alexandre.

2 comentários:

  1. Que delícia de pai !!

    ResponderExcluir
  2. Pode ter certeza que ao envelhecer,esse maravilhoso pai vai ser muito retribuido, e ai de quem pisa na bola contigo vai ter que se ver com tres grandalhonas e uma baxinha muito brava.
    RSrrSrs.....(bota responsa nisso)
    Vc é uma pessoa maravilhosa!

    ResponderExcluir